quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Granadilha

Este fim de semana coloquei duas fileiras de arames entre dois esteios para servirem de suporte a granadilhas. As duas plantas maiores (plantei uma em cada ponta) foram semeadas no ano passado de semente recolhida de frutos que comprei. Já estão grandes e estavam a precisar de ir para a terra. Os restantes pés (penso que são cinco), foram semeados este ano a seis de março. Nunca tinha visto esta planta à venda, mas este fim de semana fiquei surpreendida porque vi à venda numa grande superfície. Lembrei-me logo das minhas e da necessidade que era arranjar-lhes um sitio definitivo. Não faço ideia como são as flores, vai ser uma surpresa e também não sei se crescem muito como o maracujá roxo. Observando a planta, desde um ano até agora, dá-me a impressão que não é uma trepadeira que cresça muito, que reclame muito território.

DSCN6919DSCN6920DSCN6921DSCN6922DSCN6923DSCN6924DSCN6918

Esta última foto, é um maracujá que nasceu num dos vasos da granadilha. Não sei se é maracujá amarelo ou roxo. Como neste sitio dá para ele ir para a ramada, plantei aqui. E também tenho curiosidade em saber qual é.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Chuchus

Este ano os chuchus estão bastante atrasados, até cheguei a pensar que não iam dar. Esta planta é apenas um pé, foi plantada no ano passado e deu logo frutos nesse ano. O ano passado desapareceu por completo, secou os caules e as folhas e este ano voltou a rebentar. Este chuchu dá frutos muito grandes, verdes e sem picos.

DSCN6931DSCN6926DSCN6927DSCN6929

A rama que cresce e que trepa até à ramada. Pormenor das folhas, flor e fruto.

DSCN6930DSCN6935DSCN6925DSCN6932

Este é outro pé de chuchu, também foi plantado no ano passado, mas não chegou a dar frutos. Este ano já tem frutos, ainda estão muito pequeninos. Este pé é doutra espécie, dá frutos pequeninos, amarelos e com muitos picos.

DSCN6928DSCN6936

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Nogueira

Aqui estão as duas nogueiras que me deram estas nozes. E mais algumas nozes a secar.
Embora as arvores já tenham poucos frutos, porque a maioria já caiu ao chão. É sempre necessário dar uma volta debaixo das árvores para apanhar os frutos que teimam em ficar agarrados à capa verde, mas que acabam por ceder à mãe Natureza e vem parar ao chão.
 












Nozes

A colheita de nozes de nozes.
Quando chegaram as primeiras chuvas, também trouxeram o vento que deitou muitas nozes ao chão. A chuva caiu durante cerca de uma semana, e foi durante essa semana que as nozes foram se amontoando no chão. Quando chegou o fim-de-semana, foi aproveitar para as apanhar. Tive que as lavar em várias águas porque estavam todas sujas, cheias de terra. Entretanto na semana seguinte esteve sol, e ainda bem, porque deu para as secar. Estão prontas para se guardarem em local seco mas que circule aragem.
Tem duas qualidades de nozes, umas mais pequenas e arredondadas e outras maiores, mais bicudas e mais alongadas. São provenientes de duas nogueiras diferentes.
Vão ser consumidas durante o outono e inverno, vão servir para a mesa de Natal e Ano Novo. E de vez em quando à noite, com mais tempo e calma, gosto de partir meia dúzia delas, e comer acompanhadas com um copo de vinho do Porto. Por vezes, também parto um figo seco a meio e coloco meia noz lá dentro, é comer e pedir mais.